PODEMOS ADOECER EM VIRTUDE DE NOSSOS DESEJOS?

Existe atualmente uma tendência a supervalorização de sinais que tem a simpatia da maioria da população; quais sejam: ouro, títulos (políticos, intelectuais, de nobreza, esportivos, etc), reconhecimento (fama), dinheiro, carros de luxo, jóias, roupas caras (indumentária que enaltece o título) , padrões físicos de beleza (cirurgias plásticas).

O consumismo, a procura desenfreada por prazeres não saudáveis e mal vistos socialmente, as mudanças bruscas de pensamento e comportamento em relação aos dos nossos antepassados; todos estes podem levar a sofrimento existencial e a adoecimento psiquiátrico.

Mas é claro que o desejo não realizado por si só não leva ao adoecimento e sim quando a este fato soma-se diversos outros como: genética favorável ao adoecimento, história de vida problemática, perca de apoio familiar, falta de religiosidade/espiritualidade, uso de drogas, dieta desequilibrada, ausência de exercício físico regular, trabalho não gratificante, parceiros afetivos que não contribuem com o crescimento do casal, etc.

PORQUE SOMOS SOLIDÁRIOS NO NATAL?  

Doar faz bem à alma e traz sentimento de felicidade. No natal afloram os sentimentos de caridade e de solidariedade entre as pessoas e isso acontece por que ficamos mais ternos por fazermos um balanço do que passou e do que virá, nos levando a sentimentos de agradecimento e com isso naturalmente somos levados a exercitar a doação material, a partilha. Se no decorrer do ano ficaram questões mal resolvidas (pendentes) e que geraram sofrimentos; essas frustrações são resolvidas ou pelo menos amenizadas quando fazemos gestos de carinho e caridade pois isso nos conforta, nos faz sentir bem com Deus, traz felicidade e paz que determinam em nós maior satisfação e positividade.

A igreja orienta principalmente nessa época que devemos ver o próximo e suas necessidades. É também fácil perceber que o natal foi se transformando em uma data comercial, econômica e turística pois não se fala em agregar amor, fé, respeito e alegria mas sim distribuir bens materiais pois só assim o comércio pode obter seus lucros. É claro também que as cores, músicas e enfeites despertam em nós alegria e nos leva naturalmente a desejarmos votos de felicidades e a presentearmos uns aos outros.

CONSUMISMO DE FINAL DE ANO

O final de ano é a época em que mais nos endividamos ou pelo menos comprometemos nossa poupança e portanto retardamos o nosso crescimento financeiro. Isso acontece principalmente por facilmente obedecermos as ” tentações ” do comércio.

É nesse momento que compramos parcelado e com juros altos, desperdiçamos comida, bebemos exageradamente, não fazemos exercícios físicos, pouco estudamos, não optamos pela simplicidade voluntária, não aumentamos nosso patrimônio, gastamos mais com jogos, gastamos com luxo, atrasamos as contas e não fazemos planilhas de gastos e ganhos.

O momento certo para comprar não é quando o comércio está em liquidação mas sim quando necessitamos de um certo objeto e quando temos o dinheiro para comprarmos à vista, pois assim estaremos sempre fazendo um bom negócio.

A felicidade falsa da mídia, o consumismo desenfreado, o vazio existencial causado pela pouca religiosidade e desestruturação familiar fazem com que as pessoas pensem que o fato de podermos adquirir bens e serviços podem nos tornar mais felizes e tudo isso ocasiona o nosso atraso financeiro.

O NATAL É UMA DATA TRISTE?

O natal por si só não pode ser triste, quem pode estar triste é a pessoa que vivencia essa data dessa maneira. No natal as famílias se reúnem e essa separação dos meios “mundanos” leva as pessoas a refletirem sobre aspectos até então não observados. Há motivos para o natal ser encarado com tristeza e entre eles podemos citar:

1- o natal nos lembra a nossa infância querida que não volta mais ou se caso a infância não tenha sido agradável essa data pode trazer lembranças ruins (relembrar o passado é sofrer novamente ).

2- alguém pode também sofrer por pensar sobre o amor e a família que se tem e a que gostaria de ter; pode-se pensar que o nosso casamento ou nosso relacionamento com filhos e amigos não é tão bom quanto gostaríamos que fosse.

Se o natal lhe traz emoções, Sentimentos ou lembranças negativas então cabe a você não assumir uma posição de vítima e sim ser o responsável por fazer as mudanças capazes de elevar seu humor. O natal é uma época de alegria principalmente para as pessoas religiosas que não esquecem de associar esta data ao verdadeiro motivo (o nascimento de Cristo).

É preciso também aproveitar esse período em que a solidariedade está presente e eliminar mágoas e rancores dando-se assim a chance de fazer um novo recomeço em que se possa reavaliar as atitudes que trouxeram danos a nós e aos outros e sermos capazes de não mais repetirmos os erros do ano que se foi.

Psiquiatra Mossoró – Dr. Ernane Pinheiro

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on LinkedInPin on Pinterest

abead abp amb nup

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on LinkedInPin on Pinterest