QUAL TRATAMENTO É O MAIS EFICAZ PARA USO DE DROGAS?

O tratamento do uso de drogas é tão eficaz quanto o tratamento da maioria de outras condições médicas crônicas. Evidências científicas demonstram que um bom serviço de tratamento para dependentes químicos deveria seguir 13 princípios básicos; quais sejam:

1- um único tratamento não é apropriado para todos os indivíduos.

2- o tratamento precisa estar prontamente disponível.

3- um tratamento eficaz é aquele que atende às diversas necessidades do indivíduo e não apenas ao uso de drogas.

4- o tratamento de um indivíduo e o plano de serviços devem ser continuamente avaliados e modificados quando necessário para garantir que o plano atenda às necessidades mutantes da pessoa.

5- a permanência no tratamento por um período adequado de tempo é essencial para sua eficácia.

6- aconselhamento (individual e / ou em grupo) e outras terapias comportamentais são componentes cruciais para um tratamento eficaz.

7- medicações são um elemento importante no tratamento de vários pacientes, especialmente quando combinadas com aconselhamento e outras terapias comportamentais.

8- indivíduos com distúrbios mentais que sejam dependentes das drogas devem ser tratados de maneira integrada de ambos os problemas.

9- desintoxicação médica é apenas o primeiro estágio do tratamento e por si mesma contribui pouco para mudança a longo prazo de uso de droga.

10- o tratamento não precisa ser voluntário para ser eficaz.

11- o possível uso de droga durante o tratamento deve ser monitorado continuamente.

12- programas de tratamento devem proporcionar avaliação para AIDS/HIV, Hepatite B e C, Tuberculose e outras doenças infecciosas e aconselhamento para ajudar pacientes a modificarem comportamentos de risco de infecção.

13- a recuperação da dependência química pode ser um processo a longo prazo e frequentemente requer vários episódios de tratamento.

COMO TRATAR UM DEPENDENTE QUÍMICO EM MOSSORÓ?

Existem diversos serviços especializados no tratamento de dependentes químicos em Mossoró; entre eles podemos citar o Hospital Municipal São Camilo de Lélis (é um hospital psiquiátrico municipal que faz o tratamento para desintoxicação), o CAPS AD III (Centro de Atenção Psicossocial especializado em álcool e outras drogas Tipo III – serviço público municipal), comunidades terapêuticas (Centro Terapêutico Nova Vida, Comunidade Boa Nova, Desafio Jovem, Fazenda Esperança e Projeto Reviver Feminino).

Além destes que são serviços geralmente utilizados por pacientes que se encontram com grandes prejuízos em função do uso de drogas ainda existem os consultórios privados de Psiquiatras, Psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, etc; além dos outros serviços públicos que fazem parte da rede do SUS (Sistema Único de Saúde) e também grupos de autoajuda como o AA (Alcóolicos Anônimos) e NA (Narcóticos Anônimos ).

O QUE É UMA COMUNIDADE TERAPÊUTICA?

Uma comunidade terapêutica é um ambiente especializado no tratamento dos dependentes químicos que em sua grande maioria é gerenciado por uma entidade religiosa. O tratamento se baseia no método minessota, que associa a orientação religiosa ao trabalho e ao método dos alcoólicos anônimos (grupo de autoajuda que se baseia nos 12 passos); todos com fins exclusivamente terapêuticos.

Este tipo de tratamento ocorre em um ambiente fechado e fundamenta-se na abstinência total por achar que somente assim é possível reabilitar o paciente dando-lhe uma vida social, religiosa e familiar, afastando-o do tráfico e recolocando-o no mercado de trabalho. O poder público (notadamente o governo federal) tem pautado o tratamento dos dependentes químicos na redução de danos (método que se baseia no uso de algumas drogas em função de se diminuir o consumo de outras consideradas mais danosas a saúde do indivíduo).

A comunidade terapêutica se opõe ao método da redução de danos por achar que este não é capaz de separar o dependente químico do tráfico e portanto não o leva a um estilo de vida saudável e promissor.

COMO O USO DE DROGAS MODIFICA A PERSONALIDADE E LEVA AO COMETIMENTO DO CRIME?

Houve um tempo em que o álcool era praticamente a única droga que determinava, quando do uso, o crime e observava-se que quando era suspenso o consumo o criminoso voltava a ter os mesmos traços de personalidade (modo de ser duradouro da pessoa) que antes. Fatos novos foram acrescentados quando se industrializou a produção e se aperfeiçoou a distribuição dos entorpecentes; quais sejam: o início do uso de drogas ilícitas, como melhor exemplo o crack, determinou mudanças em grande parte definitivas da personalidade (personalidade tipo Borderline e anti-social esta última antes chamada de psicopata) e por conseguinte a perpetuação do hábito de infringir a lei.

Neste ponto surgiu um grupo de pessoas que passaram a ser o maior número nas prisões e a povoar erroneamente o imaginário popular como tendo uma tendência para o crime por motivo de sua moral deturpada.

Na verdade o preso em sua maioria é um desfavorecido social e intelectual que também é doente psiquiátrico.  Existe no atual momento histórico um inconsciente popular de impunidade que somado as numerosas oportunidades para o cometimento de crimes, o menosprezo por valores morais tradicionais (em virtude da diminuição da força de instituições como igreja e família, etc) e as características de personalidade (estas que sempre existiram com a mesma freqüência mas que agora são somadas as que surgem em função das mudanças que a droga traz) determinam o crescimento da criminalidade.

A droga em função do tempo e da quantidade de uso leva a modificações no funcionamento cerebral e como consequência mudanças no pensamento e no comportamento que favorecem o ato criminoso (inquietação, desconsideração com a dor alheia, irritabilidade fácil, tendência de não aceitar normas sociais, baixa tolerância a frustração, atitude de dominância desmedida, etc ).

É POSSÍVEL PARAR DE FUMAR?

A maior parte dos fumantes poderia se tornar abstinente do tabaco se participassem de grupos terapêuticos com outros fumantes e que fossem orientados por uma pessoa qualificada para gerenciar esses casos; no entanto existe um grupo de fumantes que por fatores diversos não conseguem suspender o uso com este tipo de abordagem.

Nestes casos resistentes é necessário um tratamento com um médico especializado no tratamento da dependência química que associará ao tratamento medicamentoso a entrevista motivacional.

Os melhores resultados na suspensão do uso do tabaco são obtidos com a associação de dois tipos de medicamentos: a nicotina (em forma de goma de mascar, pastilhas ou adesivos) e bupropiona (um antidepressivo que tem efeito para reduzir o desejo de fumar); existem ainda outras possibilidades de tratamento que serão oferecidas pelo especialista mediante a existência de particularidades de cada paciente como por exemplo: patologias associadas, associações medicamentosas que impeçam o uso de certos medicamentos, intolerância medicamentosa ,etc.

O QUE É CRACK?

O crack é uma forma cristalizada (pedra) de cocaína que é consumida por 1 milhão de brasileiros (o maior número de consumidores do mundo) e tem grande poder de causar dependência por ter efeito instantâneo (10 segundos) e pouco duradouro (15 minutos) que ocorre assim em virtude de ser fumado (diferente de quando a droga é injetada ou aspirada). A dependência se estabelece em dias (diferentemente do álcool que é em torno de 10 anos).

O Brasil é o único país das Américas que nos últimos anos apresentou aumento no número de usuários de drogas (todos os outros países ou diminuíram ou mantiveram o consumo nos mesmos níveis). Em torno de 35% dos usuários morrem; geralmente de forma violenta ou em decorrência de doenças sexualmente transmissíveis (AIDS, hepatites, etc).

Em torno de 1/3 dos usuários conseguem ficar por muito tempo e muitas vezes o resto da vida abstinente. Os danos cerebrais (córtex frontal) por causa do crack comprometem o juízo crítico do usuário, fato que leva em algumas situações a justiça determinar internamento compulsório.

A internação não é a única forma de tratamento mas de todas as drogas esta é aquela em que se faz mais necessário em virtude dos graves prejuízos bio-psico-sociais e ocupacionais. Em média o usuário precisa fumar uma nova pedra de crack a cada 40 minutos no máximo.

COMO DESCOBRIR QUE SEU FILHO ESTÁ USANDO DROGAS?

Atualmente os jovens tem iniciado o uso de drogas cada vez mais cedo, sendo que o álcool e tabaco (drogas lícitas) por volta dos 12 anos e as ilícitas (principalmente maconha) dois anos depois. Frequentemente a descoberta pelos pais só acontece após 2 anos de uso da droga. Quando o adolescente esta usando álcool ou tabaco é necessário esta atento pois normalmente é por aí que se inicia o uso das drogas ilícitas.

Novas amizades que o jovem não quer apresentar aos pais ou amizades que os pais desconfiam que usam drogas devem despertar a atenção dos pais. Recusar-se a dizer para aonde vai ou a que horas chega; quebra de vínculos afetivos com a família (pouca conversa); pedidos frequentes de dinheiro; isolamento social; sumiços de valores de dinheiro; falta ou excesso de sono; angustia sem motivo aparente; passar a comer pouco ou ter acessos de gula; queixas clínicas sem causa aparente (náuseas, vômitos, tosse e frio constante); usos de colírios, óculos escuros ou olhos avermelhados; encontrar papel para fazer cigarro (PURE HEMP) ou objeto para soltar o fumo (deschavador).

Inquietação motora, agressividade, pouco tolerante a frustrações e desinteresse por atividades antes consideradas importantes (futebol, tocar um instrumento,etc). Telefonemas rápidos com saída imediata de casa e mudanças de amizades. Baixo rendimento escolar, chamadas frequentes dos pais à escola, faltas as aulas, chegar tarde depois da aula e desistência dos estudos também sinalizam o uso de drogas.

7 MOTIVOS PARA NÃO LEGALIZAR A MACONHA:

_ Os adolescentes de menos de 17 anos que fumam maconha todos os dias correm 60% a mais de riscos de não concluir o ensino médio do que aqueles que nunca fumaram a substância.

_Aqueles que fumam diariamente têm sete vezes mais riscos de uma tentativa de cometer suicídio.

_O uso rotineiro de maconha por adolescentes ocasiona um aumento de 310% no surgimento de esquizofrenia ( doença mental incurável ).

_O fato do álcool e tabaco serem legalizados e estes mesmos serem as drogas que mais danos causam a sociedade,a família e aos próprios usuários, mostra por si só que a legalização da maconha não trará nenhum benefício a saúde pública.

_Aqueles que fumam diariamente têm oito vezes mais riscos de utilizar outras drogas posteriormente (41% dos usuários de maconha usam cocaína ).

_ Não existe maconha medicinal, o que há são componentes da maconha que podem ser isolados e poderiam ser usados como remédios; porém existem medicamentos sintetizados, mais seguros e eficazes, não justificando a utilização de uma droga que pode gerar dependência e cujos efeitos nocivos ainda não são completamente conhecidos.

_ O uso de maconha está associado a surgimento de depressão maior e transtorno bipolar.

7 FATORES QUE IMPEDEM O RELIGIOSO DE USAR DROGAS.

  1. Oração e êxtase espiritual como fontes alternativas de prazer.
  2. Fé no futuro e crença em um poder superior que ampara a todos.
  3. Pertencimento a um grupo coeso e acolhedor.
  4. Círculo de amigos não usuários.
  5. Suporte social.
  6. Famílias mais propensas a dar o exemplo de não uso de drogas ou abordagens educativas sobre padrões adequados de consumo.
  7. Normas de condutas definidas e postura contra o uso de drogas ou a favor de seu uso controlado (no caso do álcool).

FÉ, ESPIRITUALIDADE E USO DE DROGAS.

A espiritualidade é definida como crenças sentidas profundamente pelas pessoas e que dão sentido a sua vida; onde há também um compromisso com ideais amplos, nobres e com o bem-estar dos demais.

A espiritualidade é associada a melhores índices de saúde e recuperação de doenças. A qualidade do suporte social oferecido pela igreja se sobrepõe à qualidade de qualquer outro possível suporte social, como o de clubes ou irmandades.

A fé é uma emoção positiva do ser humano e por esse motivo associa-se a sentimentos de bem-estar e otimismo. A religiosidade oferece consolo aos seus adeptos e os torna menos revoltados com as dificuldades da vida; eles são mais confiantes no futuro, e isso os acalma no presente.

As crenças religiosas reduzem a sensação de desamparo e medo auxiliando assim a elevação da autoestima.

O perdão está associado a uma diminuição de índices de estresse e de raiva, permitindo uma melhora no quadro geral de saúde mental que diminui o uso abusivo e dependência de drogas.

Não há dúvidas quanto a capacidade da religiosidade contribuir para recuperação de doentes; portanto é interessante que o médico recomende um envolvimento religioso no processo de recuperação de seu paciente.

DROGAS: FATORES DE RISCO E DE PROTEÇÃO.

Características como o imediatismo, a valorização do presente, a busca de emoções e de novidades e a pouca evitação de danos são preditores de uso precoce de substâncias psicoativas.

Outros fatores de risco são predisposição genética, uso de drogas por pais e amigos, rendimento escolar insuficiente, abandono da escola, relacionamento pobre com os pais, baixa autoestima, pouca religiosidade, débil senso de responsabilidade, antecedente de evento estressante (por exemplo: abuso físico ou sexual) e uso de álcool e de tabaco, fácil acesso às drogas e oportunidade de uso.

Entre os fatores de proteção, destacam-se ambiente familiar apoiador, harmônico, estável e seguro, com regras claras de conduta e envolvimento dos pais na vida dos filhos, vínculos e relações de apego fortes, normas e valores morais sólidos, escola com clima positivo e voltada para o estabelecimento de vínculos sociais; participação em grupo religioso e em atividades de lazer; manutenção de vínculos comunitários; e identidade cultural e orgulho étnico.

O QUE LEVA UM ADOLESCENTE A USAR DROGAS?

Na atualidade o jovem, na busca de um sentido para a vida a de um lugar no mundo, é pressionado por imagens e valores conflitantes da publicidade e de um ambiente cultural que estimula o prazer imediato, a velocidade das trocas, o consumo permanente, a busca da novidade e as imposições e exigências de um mercado de trabalho instável, imprevisível e competitivo, que exige sofisticada formação técnica e habilidades intelectuais que só podem ser obtidas com forte dedicação e disciplina.

Além disso o fenômeno das drogas seduz o adolescente com seus disfarces de transgressão, afirmação de autonomia, obtenção do prazer, alívio da angústia e suposta abertura para novas realidades.

Então o adolescente encontra-se no centro do conflito entre a realização instantânea do prazer e o elevado investimento de tempo que demanda uma longa, lenta e difícil formação profissional que só dará frutos a longo prazo. A isso soma-se a falta de acesso aos bens culturais e educacionais, a falta de perspectiva profissional, a pouca religiosidade e a desobediência aos pais que empurram o jovem para o consumo de drogas.

Psiquiatra Mossoró – Dr. Ernane Pinheiro

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on LinkedInPin on Pinterest

abead abp amb nup

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on LinkedInPin on Pinterest